Dilercy Aragão Adler

CADEIRA 08

PATRONESSE

Maria Firmina dos Reis

Cadeira 08

DADOS BIOGRÁFICOS

Filha de Francisco Dias Adler e Joana Aragão Adler, nasceu em 07 de julho de 1950, em São Vicente Férrer/Maranhão/Brasil. Mãe de Danielle, Milena e Michelle e avó de Daniel Victor, João Marcelo, Caetano, Arthur, Lara, Diana e Gabriela.

Aos seis anos de idade já sabia ler e escrever. Fez o curso primário de 1957 a 1961, na pública estadual: Escola Modelo Benedito Leite. Fez exame de admissão conseguindo aprovação para ingressar no curso ginasial do “Ginásio Estadual do Instituto de Educação” e se graduou em Professora Normalista no mesmo Instituto, em 1968. Ao final desse mesmo ano foi para Brasília (Distrito Federal) para fazer vestibular para Psicologia. Na ocasião submeteu-se ao Concurso para professor da Fundação Educacional do Distrito Federal. Conseguiu aprovação nos dois exames, de modo que, em 1969 iniciou os seus estudos em Psicologia, no Centro de Ensino Unificado de Brasília-CEUB e seu trabalho como professora primária da Rede Pública de Brasília.

 Em 1972 graduou-se em Bacharel e Licenciada em Psicologia no CEUB e, em 1973, obteve o grau de Psicóloga.

 Em nível de Pós-Graduação obteve os seguintes títulos:

 Especialista -Curso de Especialização em Metodologia da Pesquisa em Psicologia- Universidade Federal do Maranhão-UFMA, São Luís/MA,1981.

Curso de Especialização em Sociologia- Universidade Federal do Maranhão-UFMA, São Luís/MA,1982-1984.

Mestre-Curso de Mestrado em Educação-Universidade Federal do Maranhão-UFMA, São Luís-MA,1988-1990.

Doutor -Doutorado em Ciências Pedagógicas no Instituto Central de Ciências Pedagógicas -ICCP, em Havana- Cuba -2005.

Revalidação do título de Doutora na Universidade Nacional de Brasília – UnB 2006.

Em nível de Aperfeiçoamento fez os seguintes cursos:

Curso de Psicopatologia do Comportamento-Universidade Federal do Maranhão-UFMA (C.H.:180 hs), São Luís-MA,1980.

Curso Terapia Comunitária Sistêmica Integrativa-Universidade- Federal do Maranhão-UFMA (C.H.:120 hs), São Luís-MA,1997.

Na Fundação Educacional do Distrito Federal iniciou em 1969, como professora alfabetizadora, nas periferias de Brasília, desenvolvendo seu trabalho pedagógico com as camadas pobres. A seguir fez concurso para fazer um curso de Aperfeiçoamento e Treinamento para professores de Educação musical (587 horas) o qual possibilitou otimizar na sala de aula as condições do trabalho pedagógico, o qual propiciava melhores desempenhos dos escolares, através das artes e, nos últimos dois anos, trabalhou no Ensino Especial, com alunos portadores de necessidades especiais.

Ainda em Brasília foi monitora da disciplina de Didática Geral, durante o primeiro e o segundo semestres letivos de 1973, no CEUB e fez Estágios na área de Psicologia no Colégio D. Bosco (1973-1974) e no Instituto de Psicologia, Seleção e Orientação (1973-1974), data em que retornou ao Maranhão.

Em 1974 iniciou o trabalho clínico em consultório particular e, nesse mesmo ano, foi contratada para trabalhar na Fundação do Bem-Estar Social do Estado do Maranhão, na função de psicóloga, onde ficou até 1976.

Em 1978 foi contratada para trabalhar na Companhia de Desenvolvimento de Distritos Industriais do Maranhão CDI-MA, como Assessora Técnica, para prestar serviços no Sistema nacional de Emprego-SINE, onde ficou até 1980, época em que iniciou os seus trabalhos na Universidade Federal do Maranhão-UFMA.

Desenvolveu de 1974 a 1980 alguns trabalhos como voluntária-convidada ou sem vínculos empregatícios, entre eles: atendimento psicológico aos alunos da Associação de Pais e Amigos de Excepcionais-APAE; realizou exames psicotécnicos em militares do 24º Batalhão de Caçadores do IV Exército, 10ª Região Militar, a convite do Comandante do mesmo, por ser filha de Ex-combatente da Força Expedicionária Brasileira-FEB, condecorado como “herói da Segunda Guerra Mundial”; fundou a Associação Profissional de Psicólogos do Estado do Maranhão, da qual foi a Presidente Fundadora (1986-1989). Foi representante do Conselho de Psicologia-2ª Região (1983-1992). Fez várias palestras e ministrou vários cursos em diversas empresas e instituições. Trabalhou no Departamento Estadual de Trânsito como psicóloga credenciada para fazer exames psicotécnicos para motorista (1974-1995).

Na Universidade Federal do Maranhão trabalhou durante dezesseis anos (1980-1996) data de sua aposentadoria. Durante esse período coordenou vários projetos, como: “Pré-Escolar Comunitário da Vila Palmeira”, “Práticas Educativas nas séries iniciais do 1º Grau”, “Integração Universidade/Ensino de 1º Grau”, “Programa de Alfabetização: Compromisso da UFMA com o resgate/Conquista da Cidadania”, “Programa de Psico & Pedagogia”, “Em Busca da Reconstrução da Escola Normal”, “Psiquiatria Comunitária”. Exerceu atividades de Direção em Campus Universitários. Elaborou Cartilha de Alfabetização: “Lendo com Malu e Nilo na Vila Palmeira”. Integrou a Comissão de Extensão Universitária e Bancas examinadoras de Concursos para ingresso no Colégio Universitário-UFMA e de Apresentação de Monografias de alunos da Pós-Graduação da UFMA, como orientadora e como professora convidada. Ministrou vários cursos e palestras representando a Universidade em eventos diversos e em outras instituições. A grande maioria dos projetos desenvolvidos pela UFMA do qual participou era voltada para as camadas pobres de São Luís, ou do interior do Estado do Maranhão.

Foi professora dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação e desenvolveu atividades de pesquisa na Graduação do Centro de Ensino Unificado do Maranhão-UniCEUMA. Integrou Bancas examinadoras de Seleção Docente e Apresentação de Monografias de alunos dos Cursos da Graduação e Pós-Graduação, como orientadora e, também, como professora convidada (1994 a 2002). Atualmente é professora dos Cursos de Graduação e Pós-Graduação e desenvolve atividades de pesquisa na Graduação do Faculdade do Maranhão-FACAM. Integra Bancas examinadoras de Seleção Docente e Apresentação de Monografias de alunos dos Cursos da Graduação e Pós-Graduação, como orientadora desde 2002

Em outubro de 1995 fez um Estágio, em intercâmbio com a UFMA e Centro de Psiquiatria Social de Tradate-CPS-Itália onde, além de desenvolver serviços clínicos no Centro de Psiquiatria Social representou o Brasil, na “Távola Retonda: La salute  mentale: um discorso transculturale, esperiense a confronto di psichiatria sociale”. Recebeu homenagens pelas palestras proferidas em várias Instituições, assim como participou de outros eventos na área da saúde mental na Região de Milão.

Em abril de 2001 faz conferência em Montevidéo-Uruguai, no Encontro Internacional da aBrace, com o Tema: “A arte e a Poesia enquanto campo de conhecimento”.

Vários Cursos e Palestras foram ministrados ao longo destes 37 anos de trabalho nas áreas da psicologia, social e da educação.

 Dentre as disciplinas ministradas na Graduação e Pós-graduação, encontram-se:

Graduação:

Psicologia Geral

Psicologia do Desenvolvimento

Psicologia da Aprendizagem

Introdução à Psicologia

Psicologia do Excepcional

Sociologia Geral

Sociologia da Educação

Sociologia da Comunicação

Sociologia aplicada ao Turismo

Sociologia Jurídica

Pós-Graduação:

Estratégias de Aprendizagem

Desenvolvimento Cognitivo

Psicanálise e Educação

Fundamentos da Psicologia Analítica – visão Jungiana do desenvolvimento afetivo

Psicologia do Portador de Necessidades Especiais

Projeto Político-Pedagógico: uma necessidade universitária

Dimensão Afetiva do Desenvolvimento

Afetividade na Educação

Fundamentos da Língua: letramento e alfabetização

As Etapas do Desenvolvimento Cognitivo: suporte para a compreensão dos temas literários e transversais.

Entre os Encontros, Cursos e Congressos Internacionais podem ser citados:

1.ª Giornata di Studio “Aiutare ad Aiutarsi: Esperienze in Tema de Salute Mentale”, Milano-Itália, outubro de 1995. 2.ª Giornata di Studio “Aiutare ad Aiutarsi: Esperienze in Tema de Salute Mentale”, Milano-Itália, (Outubro/1995). VIII Encuentro Latinoamericano del Enfoque Centrado en la Persona, Aguascalientes-México, (Outubro/1996). Pedagogía 99-Encuentro por la unidad de los educadores latinoamericanos, Havana-Cuba (Fevereiro/1999). Curso de Filosofia y Sociologia de la Educación (C.H.: 120 hs), Instituto Central de Ciencias  Pedagogicas, Havana-Cuba (1999). Curso de Postgrado “Problemas Teoricos y Metodologicos de La Psicologia Pedagogica”, (C.H.: 60 hs), Havana-Cuba (1999). Curso de Postgrado “Metodologia de la Investigación Educativa”, (C.H.: 120 hs), Havana-Cuba (2000). IX Foro Internacional del ECP, Mar Del Plata-Argentina, (Março/ 2004). Pedagogia 2005- Encuentro por la unidad de los educadores e 1º Congreso Mundial de Alfabetización, Havana-Cuba, 2005. XI Fórum Internacional da Abordagem Centrada na Pessoa 04 a 10 de maio de 2010, Suzdal, Rússia., 49º Encuentro Internacional de Poetas “Oscar Guiñazú Alvarez  Vila Dolores, Argentina de 8 a10 de octubre de 2010, V Ecuentro Internacional de Escritores y Artistas Tarija – Bolivia, 12 a 17 de novembro de 2012, 1ª Edición del Festival Internacional de Poesía “Benidorm & Costa Blanca” em Benidorm y Villajoyosa, en la provincia de Alicante, España, del 3 al 6 de marzo de 2016, X ENCUENTRO UNIVERSAL DE ESCRITORES  “VUELVEN LOS COMUNEROS” Santander Colombia 25 de septiembre  al 1 de Octubre de 2016,

 

Elaborou as seguintes Monografias, Artigos e livros:

Cartilha de Alfabetização: “Lendo com Malu e Nilo na Vila Palmeira”, São Luís/Ma: Mimeo,1982.

Monografia de Conclusão de Curso de Especialização em Sociologia, com o tema: “Hora e Vez da Criança Falar de Família”. São Luís-MA,1985.

“A propósito da linguagem como comunicação”. São Luís-MA, 1989.

“A Escola Comunitária: alguma considerações”. Artigo publicado nos ”Cadernos de Pesquisa” v. 7 n.º 1 da Pró-Reitoria e Pós-Graduação-UFMA,São Luís-MA, Jan/Jun/1991.

“Alfabetização Integradora ou Desintegradora da Personalidade”. Artigo publicado em a “Extensão e Revista”, v. 1, n.º 1 da PREXAE-UFMA. São Luís-MA,1991.            

Dissertação de Mestrado com o tema: ”Alfabetização e Pobreza: A Escola Paroquial Frei Alberto em São Luís (Maranhão) e a sua professora alfabetizadora da 1.ª série do turno diurno”- UFMA, São Luís-MA, 1995.

“A Propósito da Contradição no Seio da Escola”. Artigo publicado em “CEUMA Perspectivas”, v.1 n.º 2 do CEUMA, São Luís-MA, Julho/1997.

“A Afetividade na relação pedagógica: algumas considerações. Artigo publicado nos “Cadernos Pedagogia do Movimento Político, n.º 02 do Centro de Estudos Político-Pedagógicos-CEPP, São Luís-MA, 1997.

“Enfoques Teóricos em Sociologia da Educação: estudos de sala de aula (organizadora). Trabalho publicado no “Caderno de Educação”,v.I ,n.º1, do Departamento de Educação do CEUMA, São Luís-MA, 1988.

“A identidade de classe do Professor do Ensino Tecnológico: algumas considerações”. Artigo publicado na revista ”Nova Atenas” do Centro Federal de Educação Tecnológica do Maranhão-CEFET, v.1, n.º1, São Luís-MA, 1988.

“O Caráter histórico-social da produção do conhecimento científico”. Artigo Publicado na revista “CEUMA Perspectivas: Brasil 500 anos” ISSN-1415-3060, Ano4, v. 4, São Luís-MA, 2000.

“A dimensão político-pedagógica na prática docente no Ensino Fundamental, em São Luís-MA: investigação piloto” São Luís-MA, 2001.

“O valor do diploma na moderna sociedade capitalista”, Jornal “O Estado do Maranhão, São Luís-MA, Janeiro de 2003.

“O (Des)crédito no Sistema de Ensino Brasileiro”, Jornal “O Estado do Maranhão”, Julho de 2003.

 

Livros publicados:

Alfabetização & Pobreza: A escola comunitária e suas implicações, São Luís-MA: Estação Produções, 2002.

Carl Rogers no Maranhão: Ensaios Centrados (org.) São Luís/MA: Estação Produções, 2003.

 

Palestras sobre Valores Morais e Sociedade Capitalista:

 

Apresentação de trabalho Científico: “Os Valores Morais Solidariedade e Honestidade, a Sociedade Capitalista e a ACP: à guisa de reflexão, III Fórum Brasileiro da Abordagem Centrada na Pessoa, Ouro Preto-MG-Brasil, Outubro/1999.

Apresentação de Trabalho Científico: “O Processo de Formação dos Valores Morais dos Graduados em Pedagogia do UniCEUMA: uma proposta para o seu aperfeiçoamento”, Pedagogia 99. Havana–Cuba, Fevereiro/1999.

Apresentação de Trabalho Científico: “Formação de Valores Morais: uma proposta metodológica para o seu aperfeiçoamento, Fórum Educação Brasileira Contemporânea, Cajazeiras-PB-Brasil, Julho/2000.

Apresentação de Trabalho Científico: “Carl Rogers: Principais constructos teóricos e a realidade social contrapontos necessários”, XIII Encontro da Abordagem Centrada na Pessoa.  São Luís-MA, Maio/2003.

Apresentação de Trabalho científico: “Carl Rogers, principais constructos teóricos e a realidade social:contrapontos necessários”, IX Foro Internacional del ECP, Mar Del Plata-Argentina, março/2004.

Apresentação de trabalho científico: “Estratégia metodológica para o fortalecimento dos valores morais honestidade e solidariedade nos estudantes universitários do Curso de Pedagogia”, Semana Nacional de Ciência e Tecnologia. Centro de Ensino Federal em Educação Tecnológica- CEFET, Outubro/2004.

Apresentação de trabalho científico: “Estratégia metodológica para o fortalecimento dos valores morais honestidade e solidariedade nos estudantes universitários do Curso de Pedagogia”, Pedagogia 2005, Havana-Cuba, Fevereiro/2005.

 Apresentação de trabalho científico: “Os valores Morais no âmbito da escola capitalista”, Havana-Cuba, Fevereiro/2005.

Apresentação de trabalho científico: “Estratégia Metodológica para o fortalecimento dos valores morais honestidade e solidariedade nos estudantes universitários do Curso de Pedagogia”, II Fórum de Licenciaturas da Universidade Estadual do Maranhão-UEMA, Março/2005.

Apresentação de trabalho científico: “Estratégia Metodológica para o fortalecimento dos valores morais honestidade e solidariedade nos estudantes universitários do Curso de Pedagogia, Jornada Pedagógica 2005 do Curso Normal Superior da Faculdade Cândido Mendes do Maranhão, abril/2005.

 

DADOS BIOGRÁFICOS (LITERÁRIOS):

 

Membro fundadora e Presidente da Academia Ludovicense de Letras – ALL (Biênio 2016-2017), ocupa a Cadeira de nº 8. Titular da Cadeira Nº 01 do Instituto Histórico e Geográfico do Maranhão – IHGM. Presidente fundadora da Sociedade de Cultura Latina do Estado do Maranhãos SCL-MA (1987-2016), Presidente da Sociedade de Cultura Latina do Brasil e Senadora da Cultura do Congresso da SCL do Brasil,Presidente do Capítulo Brasil da Academia Norteamericana de Literatura Moderna, Membro da União de Escritores Brasileiros RJ-UBE-RJ; Titular da cadeira nº 13, patronímica de Henrique Coelho Neto do Quadro II, de Membros Correspondentes da Academia Irajaense de Letras e Artes-AILA, Rio de Janeiro; Membro Correspondente da Academia de Letras Flor do Vale Ipaussu/São Paulo; Membro Correspondente da Academia de Letras de Teófilo Otoni, da Comissione di lettura Internazionale da Edizioni Universum, Trento/Itália; da International Writers And Artists Association-OHIO/EUA; da Casa do Poeta do Rio de Janeiro; da Associação Profissional de Poetas e Escritores do Rio de Janeiro-APPERJ; da Associação dos Escritores do Amazonas-ASSEAM; Coordenadora Estadual no Maranhão do Proyecto Sur–Cuba; Representante da aBrace no Estado do Maranhão; Corresponsal  Internacional da Sociedad Argentina de Letras, Artes y Ciencias – S.A.L.A.C. Representante no Brasil do Periódico Porta Dell Uomo- Itália. Socia y Miembro Correspondiente de la Unión de Escritores y Artistas de Tarija-Bolívia. Grado Honorífico de Embajadora Universal de la Cultura del Estado Plurinacional de Bolivia: Gobernacion del Departamento de Tarija; Honorable Concejo Municipal de Tarija, Univerdidad Autonoma “Juan M. Saracho”, Unión de Escritores y Artistas de Tarija (UEAT), Union Latinoamericana de Escritores (ULATE) en Reconocimiento a la Produción Literaria, Educativa y Artística. Membro e Laureada pela Divine Académie Française des Arts Lettres et Culture. Delegada Cultural em Maranhão-Brasil do Liceo Poético de Benidorm (Espanha) e Embaixadora do Círculo Universal dos Embaixadores da Paz. 

 

Poema

CENTÉSIMO SEXAGÉSIMO ANIVERSÁRIO DE ÚRSULA

Publicações

2018      I Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do Brasil: Construindo Pontes (Org.)

2017      Cantos à beira-mar e Gupeva de Maria Firmina dos Reis (co – organizadora)

2017      Maria Firmina dos Reis: uma missão de amor

2016      Pelos Caminhos da Força Expedicionária Brasileira na Segunda Guerra Mundial:  condições e contradições de uma época (org.)

2015      Sobre Maria Firmina dos Reis (co – organizadora.)

2015      Cento e noventa poemas para Maria Firmina dos Reis (co – organizadora.)

2015      Doses Homeopáticas de Poesias: Lua e Poesia num ato libidinosamente sensual

2014      Círculo de Fuego – Org. Feliciano Mejía Revista do Movimento Amaro/Peru com

              poesias de Dilercy Adler 

2014      De subido à Deriva

2014      Maria Firmina dos Reis: ontem, uma maranhense; hoje uma missão de amor!

2014      Mil poemas para Gonçalves Dias: diário de viagem (co – organizadora)

2013      Mil poemas para Gonçalves Dias (co – organizadora))

2013      Sobre Gonçalves Dias (co – organizadora)

2012      TINKUY

2011       Poesia feminina: estranha arte de parir palavras

2011        Uma história de Céu e estrelas

2008       Desabafos… flores de plástico… libidos e licores

               liquidificados

2005      Joana Aragão Adler: uma história de amor e de fé… uma

                história sem fim

2005       Tratamiento Pedagógico de los valores Morales: de la

                comprensión teórica a    la práctica consciente (Tese de

                Doutorado)

2004        Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do

                Estado do Maranhão LATINIDADE-IV (org)

2003        Carl Rogers no Maranhão: Ensaios Centrados (org)

2002        Alfabetização & Pobreza: A escola comunitária e suas  

                 implicações (Dissertação de mestrado)

2002        Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do

                Estado do Maranhão LATINIDADE-III (org)

2001         Seme…ando dez anos

2000          Cinqüenta vezes Dois Mil human(as) idade(s)

2000          Genesis-IV Livro

2000          Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do

                   Estado do Maranhão LATINIDADE-II  (org)

1999          Arte Despida

1998          Coletânea Poética da Sociedade de Cultura Latina do

                   Estado do Maranhão LATINIDADE-I  (org)

1997          Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário

1996          Circuito de Poesia Maranhense (org)

1991          Crônicas & Poemas Róseos-Gris

 Organização de Exposição:

Em 1995 organizou a Exposição “Circuito de Poesia Maranhense” (poesia e fotografia-100 poemas-posters de 61 poetas maranhenses apresentada em vários Estados do Brasil e em países como: Itália, México, Cuba, Uruguai e Argentina) e publicou o Livro da exposição em 1996. 

Participação em Antologias Nacionais e Internacionais:

 1993 Oficina Cadernos de Poesia do n º 19 Rio de Janeiro/Brasil.

1994 Oficina Cadernos de Poesia do n º 20 Rio de Janeiro/Brasil.

1994 A Poesia Maranhense no Século XX, do Sioge/Imago, São Luís/MA; Rio de Janeiro/Brasil.

1994 2.ª Antologia Poética de “A Figueira”, Santa Catarina/Brasil

1995 Oficina Cadernos de Poesia do n º 21 Rio de Janeiro.

1995 Agenda 94 e 95 da Oficina Letras e Artes, Rio de Janeiro.

1995 3.ª Antologia Poética de “A Figueira”, Santa Catarina/Brasil.

1995 Mulher, Rio de Janeiro/Brasil.

1995 Catálogo da Produção Poética dos anos 90, Blocos Editora: Rio de Janeiro.

1995 Antologia Poética Del’Secchi”, vol. II, Rio de Janeiro/Brasil.

1996 Oficina Cadernos de Poesia do n º 22 Rio de Janeiro/Brasil.

1996 O Beijo, Líteris Editora, Rio de Janeiro/Brasil.

1996 Grandes Talentos, Líteris Editora, Rio de Janeiro/Brasil.

1996 Antologia Poética Del’Secchi” Volume IV. Rio de Janeiro/Brasil.

1996 Antologia Internacional de Poesia, v.2, do Movimento Poético de São Paulo/Brasil.

1996 Athena, 1.ª edição, da Edizioni  Universum, Trento/Itália.

1997 Oficina Cadernos de Poesia do n º 23 Rio de Janeiro.

1997 Eros e Psique. Blocos Editora: Rio de Janeiro/Brasil.

1997 2.º Catálogo da Produção Poética dos anos 90, da Sociedade dos Poetas Vivos. Blocos: Rio de Janeiro.

1997 Planetária Multilingual Anthology, da Edizioni  Universum, Trento/Itália.

1997 International Poetry Yearbook, International Writers and Artistis Association-OHIO/EUA.

1997 Primeira Antologia de Poetas Brasileiros, Editora do Poeta: Rio de Janeiro.

1998 Athena, Antologia di Litteratura Contemporanea Multilingue da Edizioni  Universum, Trento-Itália.

1998 Jalons, nº 62, Nantes-França.

1998 Antologia “Mulher”, Produções Culturais Ltda., Engenho Novo-RJ/Brasil.

1999 Antologia de Poesias, Contos e Crônicas SCORTECCI para o Salão Internacional de São Paulo, Scortecci, São Paulo-SP/Brasil.

1999 Poesia Viva, Biblioteca Rosa Castro-SESC, São Luís-MA/Brasil.

2000 Laços de Cultura, Brasil Quinhentos Anos, da Sociedade de Cultura Latina do Estado de Goiás, Goìânia/Goiás/Brasil.

2000 Poesía de Brasil Proyecto Cultural Sur- Brasil Bento Gonçalves- 

          RS/Brasil.

2000 Antologia di Letteratura Contemporanea Multilingue “Globus”, Edizioni Universum, Trento-Itália.

   2000 Reflexos da Poesia Contemporânea do Brasil, França, Itália e Portugal, Universitária Editora- Lisboa/Portugal.

2000 Letras Derramadas: seleción de poesía erótica y amatoria, 2002, Montevidéo/Uruguai.

     2001 Terceiro Milênio: Antologia da Sociedade de Cultura Latina do Brasil. ZMF Editora: Rio de Janeiro.

2002 Antologia “Terceiro Milênio” da Sociedade de Cultura Latina do Brasil, São Paulo/Brasil.

2002 Anthology “The XXIInd World Congress of Poets”, Iasi/Romania.

 2002 Una Poesia per la vita, Edizioni Universum, Trento/Itália.

2005 Poetando para um mundo de Paz: Renza Agnelli, Dilercy Aragão Adler e Victor Corcoba. Edizioni Universon. Itália.

2008.Brasileiros em Prosa &Verso. Edições Alba: Varginha/Minas Gerais.

2009 Receita Poética. Lithograf: São Luís/ Maranhão.

2009 10 anos de aBrace. Movimiento Cultural aBrace, Organizadores: Roberto Bianche e Nina Reis.Uruguai.

2009Voces em Plenilunio; Antologia Latinoamericana. Casa de la Cultura Ecuatoriana  /Universidad de Loja. Ecuador.

2011 Antologia Literária Cidade: verso e Prosa. Belém:L&A Editores

2011 Perfil da Associação Profissional de Poetas no Estado do Rio de Janeiro. APPERJ: Rio de Janeiro.

  1. Sobre o Amor. Sociedade Brasileira de Médicos Poetas- Maranhão. São Luís/Maranhão.
  2. Antologia da Associação Internacional Poetas Del Mundo. Life Editora/ Campo Grande/Mato Grosso do Sul.

2012 Oficina Agenda Literária Equinócio. Oficina Editores: Rio de Janeiro

2012 Poesía Cuentos y Vos 2012 Argentina.

2012 São Luís 4 Séculos de Beleza e Poesia. Sociedade Brasileira de Médicos Poetas- Maranhão. São Luís/Maranhão.

2015 Antologia Rio de Janeiro 450 anos de Verso e Prosa. Rio de Janeiro

2015 Terapia Poética. Sociedade Brasileira de Médicos Poetas- Maranhão. São Luís/Maranhão.

2015 RENOVARTE. Revista da União Brasileira de Escritores/RJ.

2015 Antologia da FALARJ. ZMF Editora: Rio de Janeiro.

2015 Varal Antológico 5. Designe Editora: Jaraguá do Sul/Santa Catarina.

2015 PERFIL: APPERJ 26 anos. Org. Sérgio Gerônimo. Rio de Janeiro.

  1. MESTURAS. Sacautos Cooperativa Gráfica. Espanha.
  2. AGENDA. Poetas del Mundo. Chile.

2016 HAY CURA PARA EL AMOR?: Antologia Poética de Amor e Desamor. Selección de Annabel Villar & Julio Pavanetti. Liceo Poético de Benidorm

2016 SIEMPRE EL AMOR-SEMPRE O AMOR.Org. Tunholo, Nazareth. Brasília

2016 Palavras 2016. Associação de Jornalistas e Escritoras do Brasil- AJEB. Evangraf: Porto Alegre.

2016 O Trem e o Imaginário IV: Verso e prosa. Academia Ferroviária de Letras. Rio de Janeiro.

2016 Coletânea Literária: a Arte de ser Mulher. Editora Sem Fronteira: Rio de Janeiro.

2016 Coletânea Literária: II Seminário Internacional Encontro das Américas: Literatura, Arte e  Cultura em Terras Potiguares. Editora Sem Fronteira: Rio de Janeiro.

2016 Integração Cultural Interestadual: Coletânea Literária. Editora Sem Fronteira: Rio de Janeiro.

2016  ? Hay cura para el amor? Liceo Poético de Benidorm Editora PIN: Espanha.

2018  aBrace Letras Poesia. Editora aBrace; Uruguai.

2018  100 Melhores Poetas Lusófonos Contemporâneos 2018. Literarte: Rio de Janeiro.

2018  Antologia  Bilíngue Corazones Calientes/Corações Quentes. Revista Capital: Brasíla/DF

2018  Maria Firmina dos Reis: faces de uma precursora. Malê: Rio de Janeiro.

Títulos Literários e Culturais:

Prêmio de edição do “I Concurso Litteris de Cultura” com a poesia “O Beijo”, Litteris Editora, Rio de Janeiro/Brasil 1995.

Colar do Mérito Cultural da Revista Brasília, Brasília/DF/Brasil, 1996.

Medalha de Mérito pelos relevantes serviços prestados à Cultura e participação nas iniciativas do Grupo Brasília de Comunicação, Brasília/DF/Brasil, 1996.

Diploma de “honour and excellence” , the International Writers and Artists Association and Bluffton  College, Ohio/EUA, 1996.

Prêmio de Publicação da Obra “Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário” do 1º Concurso Blocos de Poesia, Rio de Janeiro/RJ/Brasil, 1997.

Título de melhor ativista Cultural do ano de 1997, pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Mogi das Cruzes/São Paulo/Brasil, 1998.

Título de Honra ao Mérito pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Mogi das Cruzes/São Paulo/Brasil,1998.

Menção Honrosa pela participação no livro “Mulher” no 3º salão de Artes Plásticas na Biblioteca Nacional, Rio de Janeiro/RJ, 1998.

Moção de Congratulação com louvor da Câmara Municipal do Rio de Janeiro, pelo reconhecimento de seus grandes méritos à Literatura Brasileira, Rio de Janeiro/RJ, 1999.

Diploma de Destaque em Literatura do ano de 1998, pela Sociedade de Cultura latina do Brasil, Mogi das cruzes/São Paulo/Brasil, 1999.

Prêmio a Latinidade I da Sociedade de cultura Latina do Estado do Maranhão, como uma das melhores coletâneas do ano de 1998, pela Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Mogi das Cruzes,/São Paulo/Brasil, 1999.

Título “ Autore dell’Anno”, da Edizioni Universum, Trento/Itália, 1999.

Diploma de Participação no “I Encuentro Latinoamericano de Casas de Poetas y Congreso Brasileño de Poesía em Habana”, Habana/Cuba 1999.

Diploma de participação no VII Encuentro Internacional en la Mixteca de Mujeres Poetas en el pais de las nubes, nas cidades de Huajuapan de León y Oaxaca/México, 1999.

Título de Personalidade do Século XX por sua participação na Coletânea “Laços de Cultura, Brasil Quinhentos anos” e sua brilhante produção poética e integração ao Movimento Alternativo Cultural Brasileiro, pela Sociedade de Cultura latina do Estado de Goiás, Goiânia/Goiás/Brasil, 2000.

Título de Honra ao Mérito, pelos relevantes serviços prestados à Cultura Brasileira e a esta entidade, durante a gestão de Joaquim Duarte Baptista, Mogi das Cruzes/São Paulo/Brasil, 2001.

Diploma de Participação no “III Encuentro Internaciol da aBrace” Montevideu/Urugua, 2001.

Premio Internazionale II Convivio dell’ anno 2001 , nella sezione  “Poesia” com la lírica “ Desabafo”, da Accademia Internazionale, II Convivio, Castiglione di Sicilia/ Itália, 2002.

Diploma di Merito per l’opera “Desejos espúrios, e Prêmio Internazionale “Una Poesia Per la vita, Omaggio a Dennis Kann”, Edizione Universum, Trento/Itália, 2003.

Título e Troféu “Personalidade Destaque SCLB-2003” na categoria escritora- Sociedade de Cultura Latina do Brasil, Porto Alegre/Rio Grande do Sul/Brasil, 2003.

Diploma di riconoscimento di mérito al Premio “Filoteo Omodei” nella sezione poesia in portughese, Pela Accademia Internazionale II Convívio, Castiglione di Sicília, 2004.

PUBLICAÇÃO EM REVISTAS DO INSTITUTO HISTÓRICO E GEOGRÁFICO DO MARANHÃI_IHGM E ACADEMIA LUDOVICENSE DE LETRAS-ALL

 IHGM

ADLER, Dilercy Aragão

OS VALORES MORAIS NO ÂMBITO DA ESCOLA CAPITALISTA REVISTA IHGM No. 27, julho de 2007 88-99

BRASIL-PORTUGAL, NAÇÕES-IRMÃS: ORIGENS, INTERCRUZAMENTOS E SEPARAÇÃO. REVISTA IHGM No. 28, 2008 119-146

DISCURSO DE POSSE -, REVISTA DO IHGM – No. 29 – 2008 – Edição Eletrônica, p.  23

A PRODUÇÃO ACADÊMICA DO CURSO DE MESTRADO EM EDUCAÇÃO DA UFMA NA PRIMEIRA DECÁDA DO SÉCULO XXI  N. 30, agosto 2009 ed. Eletrônica  75-83

A POÉTICA NO DISCURSO DO DOMINADOR: A Permanência Dos Franceses No Maranhão Na Narrativa De D’Abbeville REVISTA IHGM N. 31, novembro 2009 ed. Eletrônica  44-53 Eletrônica  16-19

A ARTE E A POESIA ENQUANTO CAMPO DE CONHECIMENTO: À Guisa De Reflexões.  REVISTA IHGM N. 31, novembro 2009 ed. Eletrônica   128-137

A ABORDAGEM ATIVA SOBRE A MODIFICABILIDADE COGNITIVA ESTRUTURAL (MCE) COMO FUNDAMENTO FILOSÓFICO DA EXPERIÊNCIA DE APRENDIZAGEM MEDIATIZADA (EAM) REVISTA IHGM 32 – MARÇO 2010, p. 28

MOMENTO POÉTICO REVISTA IHGM 32 – MARÇO 2010, p. 37

A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE FORMAÇÃO DO EDUCADOR. REVISTA IHGM 33 – MARÇO 2010, P 73

A IMPORTÂNCIA DO ESTUDO DAS DIFICULDADES DE APRENDIZAGEM NO CURSO DE FORMAÇÃO DO EDUCADOR. REVISTA IHGM 33 – MARÇO 2010, P 73

DISCURSO DE RECEPÇÃO À SÓCIA MADALENA MARTINS DE SOUSA NEVES. Rev. IHGM, n. 35, dezembro 2010, p. 28

CIENTISTAS BRILHANTES E SERES HUMANOS ETICAMENTE EXTRAORDINÁRIOS. Rev. IHGM, n. 35, dezembro 2010, p. 72

ANA JOAQUINA JANSEN MULLER OU SIMPLESMENTE ANA JANSEN. Rev. IHGM, n. 35, dezembro 2010, p. 67

CIENTISTAS BRILHANTES E SERES HUMANOS ETICAMENTE EXTRAORDINÁRIOS. Rev. IHGM, n. 35, dezembro 2010, p. 72

DISCURSO DE RECEPÇÃO AO SÓCIO RAIMUNDO NONATO SERRA CAMPOS FILHO. REV. IHGM 36, MARÇO 2011, p 26

E SOBRE O DIA INTERNACIONAL DA MULHER… REV. IHGM 36, MARÇO 2011, p 184

ANIVERSÁRIO DO IHGM – 86 ANOS. Revista IHGM n. 39, dezembro 2011, p. 79 http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_39_-_dezembro_2011

VIAGEM A CAXIAS. Revista IHGM n. 39, dezembro 2011, p. 85 http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_39_-_dezembro_2011

IHGC COMEMORA SEUS OITO ANOS DE FUNDAÇÃO COM GRANDE FESTIVIDADE. Revista IHGM n. 39, dezembro 2011, p. 86 http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_39_-_dezembro_2011

POSFÁCIO ao livro “DILERCY ADLER: A TECELÃ DE EROS NOS TRÓPICOS MARANHENSES”, de CAMILA MARIA SILVA NASCIMENTO. Revista IHGM n. 39, dezembro 2011, p. 209http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_39_-_dezembro_2011

LER E PRODUZIR OBRAS LITERÁRIAS: prazeres vitais para o mundo humano. Revista IHGM n. 39, dezembro 2011, p. 219 http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_39_-_dezembro_2011

O PROFESSOR NECESSÁRIO PARA O SÉCULO XXI. Revista IHGM, no. 41, junho 2012, p. 135 Edição Eletrônica  http://issuu.com/leovaz/docs/revista_ihgm_41_-_junho__2012

 ALL

 OUTRAS PALAVRAS. ALL EM REVISTA, V. 1, N. 1, janeiro/março 2014, p. 16,

http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_volume_1_numero_1_ma
WILSON PIRES FERRO: um estudioso e grande amante das letras. ALL EM REVISTA, V. 1, N. 1,
janeiro/março 2014, p. 117,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_volume_1_numero_1_ma
SELO COMEMORATIVO – HISTÓRICO E JUSTIFICATIVA. ALL EM REVISTA, N. 2, abril/junho 2014, p. 164,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_1_numero_2_
ELOGIO À PATRONA MARIA FIRMINA DOS REIS: ontem, uma maranhense; hoje, uma missão de amor!
ALL EM REVISTA, N. 3, julho/setembro 2014, p. 70,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol_1__n_3__julho-_34d409e2ef5b18
PROJETO “’190 POEMAS PARA MARIA FIRMINA DOS REIS”. ALL EM REVISTA, n. 4, outubro/dezembro
2014, p. 24 http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_vol._1__n._4__set./1?e=1453737/10958981
1ª CONVOCATÓRIA – “CENTO E NOVENTA POEMAS PARA MARIA FIRMINA DOS REIS” – 01 de Outubro de
2014 a 31 de Janeiro de 2015. ALL EM REVISTA, n. 4, outubro/dezembro 2014, p. 32
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._1__n._4__set./1?e=1453737/10958981
LEITURA DE POESIA LICEO DE BENIDORM. ALL EM REVISTA, n. 4, outubro/dezembro 2014, p. 227
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._1__n._4__set./1?e=1453737/10958981
ERA UMA VEZ O AMOR… ONDE ESTÁ O PARAÍSO? ALL EM REVISTA, n. 4, outubro/dezembro 2014, p.
262 http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._1__n._4__set./1?e=1453737/10958981
NOTA EXPLICATIVA SOBRE E EM HOMENAGEM À MARIA FIRMINA DOS REIS E A GONÇALVES DIAS. ALL
EM REVISTA, n. 4, outubro/dezembro 2014, p. 299
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._1__n._4__set./1?e=1453737/10958981
CLAUDE D’ABBEVILLE, ALL EM REVISTA, São Luis, v.2, n.1, janeiro/março 2015,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._2__no, p. 21
COMEMORAÇÕES DO DIA INTERNACIONAL DA POESIA / All – liceo de benedorm; 14 de março de 2014 /
Odylo costa, filho – Registro fotográfico, São Luis, v.2, n.1, janeiro/março 2015,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._2__no, p. 78
À GUISA DE APRESENTAÇÃO – AO LIVRO DE REGIANA TAVARES: DESVELO DE UM MUNDO ESPECIAL, São
Luis, v.2, n.1, janeiro/março 2015, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._2__no, p.
189
À GUIMARÃES “DE MARIA FIRMINA E GONÇALVES DIAS”: poesias juntando vidas – – MEU
AGRADECIMENTO, São Luis, v.2, n.1, janeiro/março 2015,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._2__no, p. 284
COMISSÃO DO CENTENÁRIO DE MÁRIO MEIRELES – PROGRAMAÇÃO (PROPOSTA), São Luis, v.2, n.1,
janeiro/março 2015, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._2__no, p. 76
NO APAGAR DAS LUZES DE 2015, UM ADEUS INESPERADO: homenagem a Manoel de Jesus Sousa (1942-
2015) – ALL EM REVISTA, 3.1, JANEIRO A MARÇO DE 2016, P. 124,
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_vol._3__no._1_-
_ja?utm_source=conversion_success&utm_campaign=Transactional&utm_medium=email
MARIA FIRMINA DOS REIS: pequeno recorte de uma grande e gloriosa vida de mulher – ALL EM REVISTA,
3.1, JANEIRO A MARÇO DE 2016, P. 131, , https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_vol._3__no._1_-
_ja?utm_source=conversion_success&utm_campaign=Transactional&utm_medium=email
LER E PRODUZIR OBRAS LITERÁRIAS : prazeres vitais para o mundo humano, ALL EM REVISTA, 3.1,
JANEIRO A MARÇO DE 2016, P. 258 https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_vol._3__no._1_-
_ja?utm_source=conversion_success&utm_campaign=Transactional&utm_medium=email
DISCURSO DA ACADÊMICA DILERCY ARAGÃO ADLER AO TOMAR POSSE NA PRESIDÊNCIA DA ACADEMIA
LUDOVICENSE DE LETRAS, EM 07 DE ABRIL DE 2016, ALL EM REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p.
21, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-
52-90-195-118.compute-1.amazonaws.com
LER E PRODUZIR OBRAS LITERÁRIAS: prazeres vitais para o mundo humano – Profa. Dra.Dilercy Aragão
Adler, ALL EM REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p. 110,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-52-
90-195-118.compute-1.amazonaws.com
POESIA POLARIZADA A PARTIR DO GÊNERO: condição real ou engendrada – DILERCY ADLER, ALL EM
REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p. 141, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-52-90-195-118.compute-1.amazonaws.com
POESIA POLARIZADA A PARTIR DO GÊNERO: condição real ou engendrada pela supremacia masculina?,
ALL EM REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p. 233, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-52-90-195-118.compute-1.amazonaws.com
A VIDA E A POESIA DE DILERCY ADLER – youtube.com –
https://www.youtube.com/watch?v=pzclWR6kdAs&feature=youtu.be , ALL EM REVISTA,
V.3,N.2, abr/jun 2016, p. 309, http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-52-90-195-118.compute-1.amazonaws.com
MORANGOS E ABISMO, ALL EM REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p. 376,
http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-52-
90-195-118.compute-1.amazonaws.com
A MÃO, O BERÇO, O MUNDO – a Joana Adler, minha mãe, ALL EM REVISTA, V.3,N.2, abr/jun 2016, p.
376,http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__n__mero_?workerAddress=ec2-
52-90-195-118.compute-1.amazonaws.com
MENSAGEM DA PRESIDENTE – ANIVERSÁRIO DE TRÊS ANOS DA ACADEMIA LUDOVICENSE DE LETRAS.
ALL EM REVISTA, V.3,N.3, jul/set 2016, p 145 http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__numero_3?workerAddress=ec2-54-209-15-202.compute-1.amazonaws.com
ANIVERSÁRIO DE 404 ANOS DE FUNDAÇÃO DA CIDADE DE SÃO LUÍS. ALL EM REVISTA, V.3,N.3, jul/set
2016, p 224. http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__numero_3?workerAddress=ec2-54-209-15-202.compute-1.amazonaws.com
A ODE TRISTE PARA AMORES INACABADOS, DE FERNANDO ATALLAIA. ALL EM REVISTA, V.3,N.3, jul/set
2016, p 264. http://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_3__numero_3?workerAddress=ec2-54-209-15-202.compute-1.amazonaws.com
SINGELA HOMENAGEM (PÓSTUMA) AO GRANDE IMORTAL FERREIRA GULLAR. ALL EM REVISTA, v. 3, n.
4, set./dez 2016, p. 75. https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__numero_4
MINHA HOMENAGEM A FERREIRA GULLAR. ALL EM REVISTA, v. 3, n. 4, set./dez 2016, p. 86.
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__numero_4
O FUTURO DAS ASSOCIAÇÕES DOS VETERANOS DA FEB. ALL EM REVISTA, v. 3, n. 4, set./dez 2016, p.
265. https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_3__numero_4
COM A PALAVRA, A PRESIDENTE… ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 12. Disponível em:
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
SOLENIDADE NA ALL. ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 14. Disponível em:
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
FELIPE CAMARÃO É O MAIS NOVO IMORTAL DA ACADEMIA LUDOVICENSE DE LETRAS E SÓCIO DO IHGM.
ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 15. Disponível em:
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
O ESTIGMA MANIFESTO DA POBREZA E O ESTIGMA OCULTO DA RIQUEZA . ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2,
abr-jun, 2017, p. 22. Disponível em: https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_4__numero_2
POSSE EM MAIO NA ACADEMIA LUDOVICENSE DE LETRAS- ALL. ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun,
2017, p. 24. Disponível em: https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_4__numero_2
PROFISSÃO MÃE: o peso da responsabilidade. ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 25.
Disponível em: https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
“I ENCONTRO CULTURAL DE AGENTES DA LIMPEZA DE SÃO LUÍS: limpando preconceitos”. ALL EM
REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 27. Disponível em:
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
NA BERLINDA: GUESA ERRANTE – SUPLEMENTO JP – 1º ABRIL 2017 / POESIA MARANHENSE
CONTEMPORÂNEA – DILERCY ADLER E O CIRCUITO DA POESIA MARANHENSE / MEDALHA DE
OURO ESPÍRITO SANTO DAS ARTES, / MEDALHA DE EXCELÊNCIA LITERÁRIA DO MUSEU PÓSMODERNO
DE EDUCAÇÃO E DA ACADEMIA ESTUDANTIL DE ARTE CONTEMPORÂNEA / NO
MUSEU PÓS-MODERNO DE EDUCAÇÃO -ALCÂNTARA -SÃO GONÇALO -RJ-BRASIL / MEDALHA DO
MÉRITO DA FORÇA EXPEDICIONÁRIA BRASILEIRA / MARIA FIRMINA DOS REIS NO “I ENCONTRO
ESTUDANTIL DE ARTE CONTEMPORÂNEA” DA ACADEMIA ESTUDANTIL DE ARTE
CONTEMPORÂNEA MODERNA -A.E.A.C. – RIO DE JANEIRO, DE 25 A 26 DE MAIO DE 2017 / XVII
SEMINÁRIO NACIONAL / VIII SEMINÁRIO INTERNACIONAL MULHER & LITERATURA (SALVADOR,
17 A 20/09/2017). ALL EM REVISTA, vol.4, n. 2, abr-jun, 2017, p. 141. Disponível em:
https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-_volume_4__numero_2
UM ADEUS INESPERADO: homenagem a Manoel de Jesus Sousa (1942-2015). ALL EM REVISTA, vol.4, n.
2, abr-jun, 2017, p. 235. Disponível em: https://issuu.com/leovaz/docs/all_em_revista_-
_volume_4__numero_2

 POESIA A MARIA FIRMINA

 EU TE LOUVO SENHORA


À Maria Firmina dos Reis 

Eu te louvo senhora
pela agonia sentida
que te tirou o prazer
do gozo do corpo
impondo agonia
profunda doída
mas que te fez renascer
em palavras e versos
de puro querer!

Eu te louvo senhora
pelos crus dissabores
nesta vida sofridos …


Eu te louvo senhora
por tua teimosia
por tua leveza
de corpo e de alma…
por suave alegria
parcamente sentida 
apesar da tirania
da dor revelada
em toda tua vida…

Eu te louvo senhora
pelo amor do qual abdicaste
-quimera humana!-
de uma vida a outra vida …
para entregar-te a outro amor também profundo
aquele amor aos desvalidos
abandonados pela sorte
jogados aos destinos inumanos
neste mundo!…

Eu te louvo senhora
pelo teu imensurável amor à humanidade
por tua luta incansável pela igualdade
por tua excepcional dedicação materna
aos filhos abandonados nesta terra
pela vida
pela história
pela verdadeira e única humanidade!

renasce agora 
– nesta hora- 
o gozo do corpo e da alma
neste louvor que hoje a ti dedico
e não há gozo maior
que este gozo devolvido
em palavras e versos
desejos…fantasias…
eternos
perenes
romanescamente femininos!

Eu te louvo senhora
agora
nesta hora
hoje e para sempre
te louvarei também
amém!


MAIS UMA VEZ GUIMARÃES

A cidade dorme inteira 
ruas desertas 
nenhum som 
nem farfalhar de palmeira 
nenhum carro a passar nela…
só carruagens tão belas
nos sonhos de quem espera 
dias melhores encontrar…

dias iguais àqueles 
que embalaram incontáveis sonhos
acalantados por impossíveis amores 
nunca concretizados um dia 
como o de Gonçalves Dias…

dias iguais àqueles 
que embalaram incontáveis sonhos
impregnados de teimosia 
teimosia esperançada 
como os de Maria Firmina 
que lutava para que todos 
vissem 
sentissem 
vivessem 
dias melhores 
ainda nesta terrena vida!

mais uma vez Guimarães 
entrou na minha vida
agora pra sempre marcada 
como o fogo de uma ardente paixão 
ao som do compasso das ondas 
que apesar de firmes
vem e vão
por sobre as areias da praia
por sob a espuma do mar 
onde Maria Firmina 
ficava à noite a cismar!!!

MARIA FIRMINA

Maria Firmina 
brava guerreira 
que lança palavras 
em golpes de amor 
não o amor romântico 
para outro guerreiro 
mas amor profundo 
puro e verdadeiro 
para muita gente 
que não é amada 
pelos semelhantes 
e por isso mesmo
é espoliada 
e fica a mercê 
de uma sorte ingrata 
de miséria e invisibilidade 
que só os faz sofrer!!

dormes agora Firmina 
descansa em paz na terra em que viveste 
na terra em que lutaste 
e que tão bem te acolheu 
a ela agradeceste 
engrandecendo o teu nome 
por tuas lidas de bem 
e de amor 
sempre 
sempre 
amém!!!

terra 
luta
lida 
amor
hino de liberdade 
limbo 
esquecimento e dor 
renascimento 
reconhecimento 
louvor 
tudo isso inspiras…
tudo isso és tu!

 MARIA FIRMINA DOS REIS

Maria 
Mar aonde ias 
cismar noites ou dias 
maresia 
fantasia 
margarida 
flor inocente
pureza 
Maria
– pura mulher poesia!-

Firmina 
firmeza 
força 
formosura
tristeza 
no vai e vem das ondas do mar 
sob a luz do luar
de Guimarães 
terra de amor 
berço da poesia 
lirismo
da flor mulher
– Maria pura elegia!-

Dos
dos anjos 
dos Reis 
da dor 
da libertação do ser
comunhão…
-Maria do amor!-

Reis
rainha 
reinado 
poder de luta 
luta renhida 
pelo amor… 
Salve rainha
Ave Maria 
Virgem Maria 
rezai por nós…
dos Reis -Maria Firmina!-

 VOO IMORTAL

A águia
sofre 
se mutila…
renovada suas forças 
novos voos alcança 
alça incansáveis voos
pelo firmamento afora
firmemente
Firmina…
incansavelmente ousa 
enfrenta 
sofre
vive à frente do seu tempo 
do seu céu 
sempre…. sempre!

a fênix alça voo
após sua incineração…
… do limbo 
Firmina ressurge também
pelas sábias mãos de Horário de Almeida 
renascendo
nascendo 
nasce feliz outra vez
com Nascimento também…
moralmente contemplada 
Morais Filho a traz pra gente 
de novo 
para o seu voo glorioso
voo imortal
voo de Firmina 
sobre 
fora
e dentro
da – sua Casa- ALL

_____________________________________________

BELEZA
No largo e doce sorriso
O néctar da flor 
– abelha cupido –
perdida no teu céu
– meu arco íris –
do dia que enfim raiou!

e a lua 
lá do céu indolentemente
testemunha tudo isso
sorrindo pra mim 
prateadamente!

(Inédito)

SILÊNCIO … SÓ SILÊNCIO

Silencio bradado 
do fundo da alma que sequestra a dor 
do quarto
da sala 
de quem sente amor
por quem sai sem volta…

corrida na busca
veloz
dolorosa 
de quem sente o amor
que foge 
escapa …

só resta agora o silêncio bradado
no seu desespero 
no canto da sala
na mão que entorna 
a dor e a saudade 
no mais silencioso gesto 
… suspiros sufocados!

(Inédito)

 PARAISO NOTURNO

O silêncio chegou até mim
pela boca do sono
com hálito de sonho
com cheiro de lua
bem depois dos estrondos 
do gozo felino
de quem fez amor!…

na rua 
tão nua 
solitária 
perdida 
silenciosamente 
jaz no chão 
…a lua!

(Inédito)

 NOIVA

Saudade de mim de branco 
igreja
flores
sorrisos…
quantos sorrisos…
– noiva vestida de sonho!-

e eu nos braços diáfanos da poesia
hoje
encanto o meu desengano!…

(Inédito)

POESIA EM GOTAS

Sabedoria 
é saber a dor 
beber o dia 
em gotas 
de insanas e incontáveis
poesias!

(Inédito)

REMÉDIO

A crueza da vida 
invade a alma 
aquebranta o corpo 
dilacera o sonho…

o amor à vida 
supera barreiras
revigora o corpo 
alenta a alma 
dá vigor ao cansaço
e vivifica o sonho!

(Inédito)

ESPAÇO FEMININO

Espaço mulher
mulher no espaço
espaçonave espaço cósmico
cômico espaço… 
inusitado
das normas 
do corpo
do sexo
do leite materno
que eterno sangra
do peito
a jorrar a boca a dentro
do homem!

Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.11, 1991

COBRANÇA

Cobro-te
cobras-me
cobra venenosa
com veneno fatal…

cobro-te
quando me cobres
com teu corpo
enroscado
– tipo cobra –
no meu corpo
intumescido
rígido sensual!

Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.65, 1991

DIFÍCIL VERDADE

Haverá talvez verdades
que fiquem além da linguagem
o que nos faz
seres solitários!

faço esforço sobre-humano
para dizer o que sinto…
…e nem sempre consigo!

faço esforço incrível
para viver o que penso…
…nem sempre é possível!

faço esforço tamanho 
para tornar-me clara
e facilmente interpretada
…mas muitas vezes
me flagro diferente
na percepção do outro!

são essas verdades além da palavra
do gesto da expressão
essas verdades não ditas
que nos condenam a essa insólita
solidão!


Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.82, 1991

PÔR-DO-SOL NO IATE CLUBE

Por trás da ilha
deslizas dolente
sabendo do efeito
que causas em mim
às vezes preciso
que demores um pouco
mas continuas incessante
num declínio sem fim

beleza tamanha
dos teus raios viris
que incidem prateados
nas brumas do mar
rodeando a ilha…
… penetrando em mim
como um macho na fêmea…
…adoro te olhar!…
Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.87, 1991

AO MEU AMOR
Amo a doce voracidade
que traduzes
amo a loquacidade
do que dizes
amo a excitação
dos afagos que me fazes
amo a emoção 
de ter-te comigo!…

amo-te em partes
… e por inteiro
amo teu ego
nem sempre em equilíbrio
amo as incertezas
com que me cerceias
amo profana e santamente
cada fração de segundo a dois
que vivemos…
…compartilhando
…compactuando!
Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.98, 1991.

 AMARGA ROTINA

A noite dormiu
a manhã acordou
como sempre acontece
o dia rolou como outro qualquer
em que a gente envelhece…

envelhece a pele
envelhecem os olhos
a saudade e a alma…

envelhece sem chama
com uma calma velada
que até aborrece

aborrece a chama
que brilhava na pele
crepitava no sexo
rolava na cama
e agora adormece

adormece calada
doce calma na alma
com os olhos cerrados
e a boca entreaberta
de quem não diz mais nada! 
Crônicas & Poemas Róseos-Gris, p.101, 1991.

VERDADE E MENTIRA
Eu prefiro 
mesmo que doa
ouvir a verdade
amarga
do que a doce
mentira
que depois fere
e magoa…
… muito mais!

Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.13, 1997

TÉDIO
Essa paz no coração
essa tranqüilidade morna
de quem não espera nada…
nenhum sonho retorna
todos mortos!
emoção entorpecida
sensações adormecidas
embotadas pelo medo
puro tédio!

só o fogo da paixão
na incerteza da espera
dá vida aos sentidos
dá todo sentido à vida
vida trânsfuga
inquieta
de todo poeta vivo!

Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.17, 1997

CORPO E PRISÃO

Sinto-me presa
em um corpo
que impõe
limites intransponíveis
que me impõe
papéis delineados
que inspira amores
que nem sempre quero
e me tira a possibilidade
de outros
que eu queria tanto!

sinto-me presa neste corpo 
que nem sou capaz
de ver
sob todos os ângulos!

sinto-me numa prisão
neste corpo nunca perfeito
e mortal
quando o mais desejo
é transcendência total!
Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.103, 1997

 DESEJO

Eu desejei aquele corpo
sem rosto
sem alma
sem nome
sem significado
só corpo!
eu desejei aquele corpo
com ímpeto
com o total furor
e langor
da minha libido
desprovida
de qualquer amor
sem qualquer pudor
só sexo!
eu desejei aquele corpo
só corpo
só sexo
sem rosto sem calma
desejo sem nexo?!
só sexo
sexo e corpo
sem alma e sem rosto
ah! como o desejei!!! Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.67, 1997

CHEIRO DE TERRA MOLHADA

Este cheiro de terra molhada
brejeiro cheiro que traz
às minhas áridas narinas
aquele límpido aroma
inesquecível
de paz!

este cheiro de terra molhada
me lembra outros cheiros
milhares
é o orgasmo profícuo da terra…

terra e água
amantes eternos
que ejaculam um universo infinito
de cheiros
de cores
de amores
incensos e incestos de vida!

Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.39, 1997

PÊNDULO VIVO 

Os meus sonhos no chão
quem não sonhou mil dias? 
a minh´alma ensimesmada
quem não sorveu saudades?
meus projetos desfeitos
desleixadamente estilhaçados

minha vida fragilmente suspensa
como um pêndulo oscila
entre a doce magia
da solitária espera
e a mágica orgia
do reconstruir do nada! 
Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.20, 1997

05 RITUAL 

Ouço uivos de lobos – lamentos tristonhos – 
trazidos pelo vento frio do inverno
colho orvalho – lágrimas do cosmos – 
na noite enlutada
engulo luares – dos nostálgicos amantes – 
bucolicamente solitários
rumino compulsivamente todas as saudades
que me fazem atua ausência
digiro tácita solidão num ritual sem trégua
à tua espera!


Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.20, 1997

 POESIA

Eu te capto 
entre os espigões de concreto 
que se afogam 
no mar morto do asfalto 
eu te vejo 
mesmo na solidão do eco 
do salto alto nervoso 
apressado…
eu te acho 
no poço escuro sombrio 
do elevador lento e inabalável …
eu só me calo 
quando me falas 
eu sempre grito 
as tuas dores 
mas também digo 
os teus prazeres 
e ainda bendigo 
por me fazeres teu instrumento!…


Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.19, 1997

 POEMA

No frio e pálido papel 
eu me debruço 
debulho irrefutavelmente tantos prantos 
quanto me custa! 
degusto prazerosamente 
todos os sabores 
que me devassam e afloram 
corpo e mente 
quantos licores!
e o papel se enche 
transborda vida!
Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.13, 1997

SOLIDÃO
TOMO I
A solidão do cosmos
a minha própria
são intensamente doloridas
mesmo com o frenesi
de todos os orgasmos…
…resignadamente pasmo!


TOMO II
A minha inaceitável solidão
os meus insaciáveis desejos
frenética e pacientemente te esperam…
…o tempo escoa implacável 
não importa!


Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.22, 1997

REPÚDIO AO ESTUPRO
Estupro 
violência maior 
pra com a mulher 
violência maior 
pra com o sexual
violência maior 
pra com o bom do amor!

estupro 
aberração maior 
do desejo menor 
encarnação do desamor 
do ódio 
em lampejos de sadismo 
e de horror! 

estupro 
a negação do afetivo 
na carne 
a negação da sedução 
no desejo 
a negação do sublime 
no sexo 
a negação do homem 
e da mulher 

seja ele concreto 
seja ele simbólico 
…o meu repúdio!

Crônicas e Poemas Róseos-Gris. São Luís: Estação Produções, p. 84, 1991.

CONJUNÇÃO DA TUA PRESENÇA

No pretérito
a inesquecível delícia
da tua presença
no presente
enorme saudade!


Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.23, 1997

CARTÃO POSTAL

A cidade grande 
me seduz e intimida
sua exuberância me encanta 
sua arrogância me amedronta… 
pessoas engolidas inteiras como Jonas 
jazem nos arranha-céus …
digerem solidão… 
a lua lambe “Torres de Babel“…fascinação!..
Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, p.21, 1997

MÃOS ESTENDIDAS 

Mãos estendidas 
ele me olha 
enternecida observo 
olhar tristonho 
tez amarelada 
barrigudinho 
pés descalços 
não cheira bem… 
e dos seus olhos grandes 
quase esbugalhados 
duas lágrimas começam a rolar…

olho-o tristemente 
e vejo quanto sofrimento 
estampado em seu semblante! 
seu olhar profundo 
traduz tantas privações! 
quantas vezes fica sem comer 
quantas vezes dorme mal
sente frio ao relento 
quantas vezes quer carinho 
e não tem um colo sequer 
para um acalanto 
nenhuma canção de ninar 
lembra ter um dia ouvido 
nenhuma mão forte…tranqüilizadora 
apoiando-lhe 
transmitindo segurança no futuro!

só incertezas 
só tristezas 
só violências de toda ordem 
fazem o seu cotidiano… 
é a violência do mais forte 
que oprime 
é a violência da falta de escola 
é a violência 
da falta de um teto 
é a violência 
de não ter direito 
a uma família
que possa transmitir 
paz…tranqüilidade
é a violência muitas vezes 
daquele carinho que precisa…

é a implacável violência 
de não poder ser 
simplesmente… 
…criança!… 
Poematizando o Cotidiano ou Pegadas do Imaginário, pp. 51-52, 1997

MISTURA DE PELE MESCLA DE PIEL
A pele La piel
escura oscura
a pele la piel
branca blanca
a pele la piel
a brancura la blancura

a loucura se mistura la locura se mezcla 
na pele en la piel
por séculos e séculos por siglos ysiglos

pela fresta da janela por la rendija de la ventana
vejo a pele veo la piel 
que reflete que refleja
a luz la luz
do teu sol de tu sol
luz amarela luz amarilla 
na pele escura enb la piel oscura
dourada sem igual dorada sin igual
sobre a minha brancura sobre mi blancura
nua! desnuda!

Arte Despida, p. 23, 1999

DOR – ESFINGE

Meu peito
– deserto de amor – 
solidão doída

cinge essa doida dor – esfinge
com tua mão benigna!
Genesis-IV Livro, p. 15, 2000

 DESEJO

Quero extrair
mais um poema
das entranhas

estranha arte
de parir
palavras!
Genesis-IV Livro, p. 20, 2000

16 PÔR – DE –SOL
A tarde cai
languidamente
com um esplendor 
sem igual…
raios vermelhos
penetram o mar
sensual e firmemente
num ardor sexual
…penso em nós!… 
Genesis-IV Livro, p. 24, 2000

VÔO PELO REPRIMIDO

Aquela folha de papel inerte
tão sem vida à minha espera fica
em sua brancura imaculada e nobre
como a mão da doce Isolda fia!

ateio o fogo da paixão humana ensandecida
à folha de papel à minha frente inerte
ela treme ante o real e a fantasia
e ante a dor-titã que me agonia
e alçamos voo pelo reprimido!

ah! aquela folha de papel antes inerte
agora arde em paixões incontinentes
com a minha e tantas outras vidas juntas
escala o céu
trespassa horizontes!
Seme…ando dez anos, p, 83, 2001

CONTRASTES

Pássaro branco
na noite escura
da cidade em transe
voa…
trânsito neurótico
narcótico ilógico
da ponte absurda
navega nesse voo

paz entalhada
em cada detalhe
desse voo noturno
encobre o entulho da ponte
e revela o aveludado voo
que se inicia!
Genesis-IV Livro, p. 64, 2000

DIAGNÓSTICO

Sentimentos difusos
pulsações arrítmicas
desejos obtusos
por todos os lados
se espalham
palavras neuróticas
maníaco- depressivas 
exoticamente travestidas
em versos e versos…

ah! essa louca mania
de escrever poesia! 
Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p.25, 2000

O “PÃO- NOSSO” DE CADA DIA

Gás letal de todo- o – dia
leva a nossa vida
a nossa dignidade
rega a nossa ferida
rasga dilacerando
a nossa dor
aberta
exposta impunemente
à luz do sol

o pão nosso de- cada- dia
que dá vida
de verdade
dá- nos hoje!
Amém!
Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p.34, 2000

 

PALMAS DO TEMPO
O vento 
nas palmas do tempo
eu gosto

o gosto de mel
entre línguas e dentes
eu gosto

daquele perfume
de violeta silvestre
eu gosto

da tua camisa branca
de linho leve
roçando o meu seio
eu gosto

eu gosto da tua boca
do teu peito
do teu corpo
do teu jeito de fazer amor
daquele tempo!

Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p. 46, 2000

 

ARMÁRIO DE BRINQUEDO
Não tenho gatos
nem em aquarela
mas amo um beija- flor
que sempre vem
à minha janela

não tenho pássaros em gaiola 
domesticados
mas bebo o néctar dos deuses
do teu beijo 
apaixonado

não tenho um papagaio adestrado
mas falo a palavra
não decorada
dependurada
nos vieses do tempo
em meu armário de brinquedo
que se abre
e escorre entre os meus dedos! 
Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p. 49, 2000
 

AMORES
Amores
senhores
eu tive!
amores
com dores
cicatrizes!
amores
intensos
incensos
inebriantes!
amores
fortuitos
cometas reluzentes!
amores
prolongados
ausentes tanto tempo!
amores
não correspondidos
espremidos no peito!
amores
tão doces
leves
serenos!
amores
mais-que-perfeitos
eternizados
no imaginário!

amores
senhores
eu tive e tenho
e quero muito
muitos ter
ainda! 

Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p. 49, 2000

SEME(ANDO)
Lavra na terra o sulco da vida
lavra ideias
lava a “culpa” e o “pecado do mundo” 
limpa com ideias
revolve o sumo inominável
com tuas ideias!
Seme…ando dez anos, contracapa, 2001

25 ATROPELAMENTO
As palavras fogem
escorraçadas
escorregam
pelo canto da boca
amordaçada
trânsito engarrafado
calor quarenta graus
transpiro sangue
vermelho forte
engasgo
rasgo o risco
que me foge
palavra atropelada
morre no asfalto!

Cinquenta vezes Dois Mil human(as) idade(s), p. 65, 2000

 LOUVOR AO BEIJO 

Eu canto e decanto o beijo
enquanto desejo maior
de todo ato de amor!
eu louvo a todos os beijos
do mar na boca da lua
do sol na extensão do horizonte
do bêbado no meio da rua
do rio ao pé da ponte
do orvalho no seio da terra
ah! magia do beijo
ritual de todo desejo!

eu canto e decanto o beijo 
magia angelical
comunhão dos nossos desejos
em gozo sexual!

eu canto a todos os beijos
menos aquele que macula
o beijo maior
-o da criação-
o fatídico beijo de Judas
o beijo da traição!

eu canto e decanto o beijo
enquanto desejo maior
de todo ato de amor!

Genesis-IV Livro, p. 29, 2000

 

LINHA RETA
( a Niemayer)
Eu admiro a linha reta 
ao pé da montanha 
por sobre o planalto 
também na asa delta 
em linha obliquamente ereta
durante o seu vôo…

eu me embeveço com as retas
das longas estradas 
que também serpenteiam
arrastando sonhos
levando saudades
deixando a esperança
de rever breve
breve
o ser amado…

eu mergulho irresponsavelmente
na linha reta do horizonte 
entre o mar e o céu 
entre o negro e o azul 
entre a vida e a morte 
entre o ódio e o amor
do teu dicionário…

eu me completo e me perco 
na linha reta do homem amado 
mas celebro minhas curvas
que se entregam às retas
complemetando
a mais bela figura geométrica!!

Desabafos… Flores de plástico…Llibidos e Licores Liquidificados, p.57, 2008

LIBERTAÇÃO 
Aprisiono o verbo 
devoro a “carne” 
–pecado humano- 
cerne do desejo
tresloucado 
do fruto proibido 
insaciavelmente 
insano!…
aprisiono a dor
em amargas palavras 
algemadas
–cárcere privado- 
esvaziada
da linguagem erótica …
recrio liturgias 
procissões 
santos e rezas 
que se pretendem assépticos
e no entanto 
mostram-se 
contagiam 
com os seus próprios
venenos 
exoticamente tóxicos! 
aprisiono o amor 
no papel A4
que jaz 
na impressora 
do meu computador 
e digito
tácita 
e indolentemente 
cada letra
cada sílaba 
cada sentença 
cada cicatriz intensa 
da vida 
que se expõe
e
ao se mostrar 
completamente nua 
sem qualquer reserva
se ergue 
se levanta 
alça vôo 
…se liberta…

me liberta também!!! 
Desabafos… Flores de plástico…Libidos e Licores Liquidificados, p. 11, 2008

ACRE-DOCE PRISÃO

Tantas palavras 
soltas no espaço 
presas em livros… 
… em dicionários
humanamente apócrifos…

tantas palavras 
soltas na boca 
presas no peito 
seguras
por fortes amarras 
neuroticamente imputadas…

tantas palavras 
e não encontro nenhuma 
para externar o meu desejo 
… a minha paixão 
… calo-me então 
-quem sabe-
pra sempre…
e acorrentada fico
na tua acre-doce prisão!

Desabafos… flores de plástico… libidos e licores liquidificados, p.17 2008

AMORES HUMANOS
Amores possíveis
desperdiçados
nunca vividos 
por se deixarem imperceptíveis

amores impossíveis 
sonhados 
nunca concretizados 
mas intensa e doloridamente
desejados

amores platônicos 
tão intensos em desejos
impregnados de angústia 
que brotam do peito
e sangram
sangram
sem esperança …
de se completar
plena e vorazmente
… no sexo


amores previsíveis
tão claros 
-às vezes chatos- 
com início

fim 
doce e amargamente
prognosticados…

amores imprevisíveis 
que surpreendem 
quando chegam de repente 
parecendo surgir 
do nada 
mas com intensidade 
assustadoramente
inexplicável!

amores sofridos
que fazem doer 
a dor de senti-los 
tirando o prazer
perduram às vezes
na vida de quem os tem
tanto…
tanto tempo!!!

amores tão calmos
pobres de emoção
cheios de pudores
que aborrecem até 
os mais tímidos 
e desencantados corações!

amores tão tórridos 
como o teu 
que deixa a minh’alma 
ardendo em paixão 
jamais tive igual…
… jamais terei igual!!

Desabafos… flores de plástico… libidos e licores liquidificados, p.51, 2008

PRESSÁGIOS 
Lágrimas do tempo
escorrem em minha janela
meus olhos atentos 
espreitam a vida
pele fresta que me resta.

a vida passa
às vezes sem pressa
sem maus presságios
e me deixa atônita
aturdida
entre sonhos despidos 
e travestidos 
de desejos reprimidos!…

Desabafos… flores de plástico… libidos e licores liquidificados, p.47, 2008

 PSICANALITICAMENTE FALANDO…

Sob a máscara
mal posta
reconheço
o que de fato
preferia não rever!

no fecho do ensaio
domesticado
esticado
amenizo o dogmatismo
estreito
das razões da psique
e do destino
de todos os meus
amores
licores e libidos
derramados
sobre o frio asfalto
da cidade
freneticamente deserta
de desejos
de qualquer espécie!

sob a máscara
mal posta
reconheço
…me reconheço…
quando o que de fato preferia
o que queria
o que quero
é mesmo
não me ver!

tudo isso hoje parece
demasiadamente simples!…

Desabafos… flores de plástico… libidos e licores liquidificados, p. 25, 2008

LINHA RETA
( a Niemayer)
Eu admiro a linha reta 
ao pé da montanha 
por sobre o planalto 
também na asa delta 
em linha obliquamente ereta
durante o seu voo…

eu me embeveço com as retas
das longas estradas 
que também serpenteiam
arrastando sonhos
levando saudades
deixando a esperança
de rever breve
breve
o ser amado…

eu mergulho irresponsavelmente
na linha reta do horizonte 
entre o mar e o céu 
entre o negro e o azul 
entre a vida e a morte 
entre o ódio e o amor
do teu dicionário…

eu me completo e me perco 
na linha reta do homem amado 
mas celebro minhas curvas
que se entregam às retas
complemetando
a mais bela figura geométrica!! 
Desabafos… flores de plástico… libidos e licores liquidificados, p. 57, 2008 
06 PERFEIÇÃO
A Gerardo Hernández, Ramón Labañino, Antonio Guerrero, Fernando González
y René González

Um dia perfeito
em um mundo perfeito 
sem ódio 
sem medo 
sem obsessão…

um dia perfeito 
um poema perfeito
capaz de abrir 
uma insana prisão…

um dia perfeito 
na vida 
na história 
de guerras sem glórias 
de quem só tem sonhos 
de um mundo tão leve
– profana visão-
leveza suprema
sem peso nenhum
nem o da solidão!…

um dia perfeito 
-cinco- 
o número perfeito
como os dedos da mão
que se abrem de uma vez
em uníssona voz
gritando bem alto
por libertação!!!

ah! como a vida é frágil
o poder é efêmero
mas o amor 
e o sonho de liberdade 
– com certeza –
para sempre
sobreviverão!!!

De Súbito à Deriva, p. 39, 2014

MONOTONIA

Monotonia… 
nas réstias dos dias 
que me restam 
sem as cavalgadas fugidias 
no teu dorso indomável…

agora 
só caminhos monótonos 
trotes e marchas cansadas 
sem as tuas galopadas desenfreadas
quebrando todos os meus arreios
arriando todos os nossos desejos

nunca mais 
o júbilo do ritmo 
de mãos 
dedos 
e língua 
na mais ousada sinfonia

agora 
só a dissonância de torpes compassos…
passos trôpegos… 
pesadamente cansados…
pela tão sentida ausência de amor!!!

De Súbito à Deriva, p. 39, 2014 

IN(CONFORMAÇÃO)
Já me conformei 
com a morte… 
embora quisera
a sorte 
de viver eternamente!!!

já me conformei 
com a solidão…
embora quisera 
a quimera 
de viver um grande amor….

já me conformei 
com a falsidade
embora quisera 
viver relações 
permeadas 
sempre…
sempre…
por verdades

já me conformei 
com o egoísmo 
embora quisera conviver 
com o altruísmo….

já me conformei 
com a teimosia 
a minha rebeldia 
de não aceitar de imediato
o que a vida me impõe 
de pronto e de fato!!!

TINKUY, p. 26, 2012

Compartilhe esta página

Compartilhar no facebook
Compartilhar no google
Compartilhar no twitter
Compartilhar no linkedin
Compartilhar no pinterest
Compartilhar no print
Compartilhar no email